Blog

Wolters Kluwer participa da discussão do eSocial com CFC, Receita Federal, SERPRO, Fenacon e outras empresas de software.

Aconteceu nesta segunda-feira (27/05), em Brasília/DF, um encontro organizado pelo CFC para discutir alternativas e soluções para os problemas com a operacionalização do eSocial. Além de membros do CFC, também estiveram presentes representantes da Receita Federal, SERPRO, Fenacon. Alizete Alves, especialista em legislação trabalhista e previdenciária, também participou do encontro representando a Wolters Kluwer Brasil. […]

Aconteceu nesta segunda-feira (27/05), em Brasília/DF, um encontro organizado pelo CFC para discutir alternativas e soluções para os problemas com a operacionalização do eSocial. Além de membros do CFC, também estiveram presentes representantes da Receita Federal, SERPRO, Fenacon. Alizete Alves, especialista em legislação trabalhista e previdenciária, também participou do encontro representando a Wolters Kluwer Brasil.

Dentro dos assuntos abordados, levantou-se os sérios problemas com a implantação do eSocial que afeta tanto a classe contábil quanto as empresas de software. Esta reunião foi fruto de um encontro prévio com a RFB, ocorrido no dia 16 de maio, onde o CFC apresentou uma série de reivindicações de mudanças na implantação do eSocial, solicitando melhorias e simplificação nos eventos.

Uma grande preocupação que vem em acréscimo aos problemas enfrentados desde janeiro de 2019, é o fato da entrada das empresas do Simples Nacional no eSocial. Segundo o Sebrae Nacional, atualmente, há mais de 11 milhões de empresas optantes pelo Simples Nacional. A Entrada faseada para as empresas Optantes pelo simples, foi uma das sugestões apresentadas.

A falta de estrutura no sistema para recepcionar, com segurança, as informações enviadas e a insegurança em que vivem os escritórios contábeis completam os mais de 250 itens de problemas levantados pelo GT e que resultaram em 80 propostas de melhorias, já encaminhadas à Receita Federal. Entre os pleitos, algumas medidas emergenciais precisam ser priorizadas:

• Criar um canal de comunicação direto entre a equipe técnica da SERPRO e empresas de software;
• Pronunciamento imediato da SERPRO por meio do portal do eSocial quando ocorrer indisponibilidade do serviço;
• Resolução dos problemas de integrações apresentadas pela SERPRO;

Por fim, todos foram unanimemente contra as multas aplicadas nesse período, já que o sistema apresenta tantos problemas e os empresários não podem assumir a culpa por isso, além do apelo para alteração de prazos para entrega dos eventos;

Com a finalidade de avaliar os progressos e melhorias do eSocial, uma próxima reunião já foi agendada para o próximo dia 4 de julho.

FONTE: cfc.org.br

FOTO: Cezar Tadeu